Cuidados com Abelhas
18/11/2019 - 15:58

As abelhas são animais organizados, contribuem com a polinização, fazem colmeias lindas e nos fornecem o delicioso mel, mas quando provocadas podem causar desconfortos, dores e até a morte.

O calor e a florada influenciam no surgimento de enxames itinerantes e aumento do número de insetos nas colmeias. A alta temperatura também deixa as abelhas, vespas ou marimbondos mais agitados e agressivos.

Nessa época do ano é recorrente o aumento do número desse tipo de ocorrência na nossa central de emergências.

O Corpo de Bombeiros informa que é crime ambiental o extermínio desses animais, quando não ocorre uma situação de perigo iminente para pessoas.

 

O que é perigo iminente?

 

Risco à vida, idosos sem mobilidade, concentração permanente de crianças (salas de aula de escolas) e outros, pois em se tratando de abelhas o manejo correto não gera risco.

Mexer num enxame ou colmeia vai ativar o comportamento de defesa desses animais; 90% dos casos de acionamento do Corpo de Bombeiros tratam de enxames migratórios, característicos quando o enxame assenta para descansar formando uma "bola preta", quando as abelhas cercam a rainha que parou ali para descansar. Normalmente elas ficam desta forma para passar a noite, indo embora nas primeiras horas do dia seguinte, ou seja, comportamento normal.

Só é alarmante para o proprietário do imóvel quando o enxame se "entoca", entrando dentro de uma casinha de cachorro, dentro do forro, ou de um armário. Neste caso as abelhas podem estar fazendo uma colmeia e o aconselhamento do Corpo de Bombeiros é procurar um apicultor habilitado para a remoção. Nunca aplique veneno num enxame ou tente afastá-lo com ventiladores ou afins.

As abelhas são insetos de hábitos diurnos, não existe indicação para manejo delas durante o dia, ainda mais em ambiente urbano, onde um enxame provocado pode atingir uma área de duas a quatro quadras.

Durante a noite elas estarão mais "calmas" por causa de seus hábitos eminentemente diurnos. Vale ressaltar que abelhas são sazonais e estamos em época migratória.

 

Para evitar problemas, o Corpo de Bombeiros do Paraná recomenda:

 

  • Evite movimentos bruscos e excessivos quando próximo a colmeias;
  • Não grite, pois as abelhas são atraídas por ruídos, principalmente os agudos;
  • Evite operar qualquer máquina barulhenta próximo a colmeias. Examine a área de trabalho antes de usar equipamentos motorizados;
  • Ensine as crianças a se precaver e não matar as abelhas, vespas ou marimbondos;
  • Se for atacado, proteja o pescoço e o rosto das picadas, com a ajuda de uma camisa ou outra vestimenta. Se a ferroada ocorrer na cabeça e/ou pescoço, procure imediatamente auxílio médico;
  • Pessoas alérgicas a picada de insetos devem evitar caminhadas em áreas de mata, pois para quem é sensível à peçonha, apenas uma picada pode ser suficiente para gerar um choque anafilático;
  • Caso seja alérgico a picadas, pergunte ao seu médico o que fazer;
  • Caso alguém seja picado, é importante que faça a remoção imediata dos ferrões, pois eles continuam liberando peçonha gradativamente. A sua retirada interrompe esse processo;
  • Afaste os animais domésticos do enxame porque qualquer barulho pode irritar o enxame e desencadear o ataque;
  • Após a picada, a abelha perde seu ferrão e a bolsa de peçonha e morre. Contudo, o mesmo não se aplica às vespas e marimbondos. Após picar eles estão prontos para atacar novamente;
  • Em casos de formação de colmeias em residências, o proprietário deve acionar um apicultor especializado para a remoção do foco. Nos casos mais críticos, acionar o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193.

Últimas Notícias