Falecimento da Cadela Jane do Corpo de Bombeiros da PMPR
08/07/2019 - 16:26

O Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Paraná, através do Grupo de Operações de Socorro Tático, comunica o falecimento em data de 8 de julho de 2019 do Cão de Busca e Salvamento Jane, durante a realização de um procedimento cirúrgico devido a problemas de saúde.

Nascida em 2006, passou a integrar o Corpo de Bombeiros já no início de sua vida, e ao longo dela passou por treinamentos nos mais variados cenários, obteve certificações e atuou em missões reais por quase 10 anos.

Jane foi pioneira da atividade cinotécnica no CBPMPR, participando do processo evolutivo do Canil do GOST, que nos últimos 12 anos, levou o a instituição a tornar-se uma das referências na atividade de Busca e Resgate com Cães no Brasil, principalmente na modalidade de rastreio, especialidade da cadela Jane.

Após aposentada, no ano de 2017, Jane ainda atuava como cão terapeuta, participando de diversas atividades assistidas por animais em hospitais e casas de apoio, ajudando na recuperação e proporcionando melhor qualidade de vida a inúmeras pessoas.

Desde de sua aposentadoria, Jane foi morar com o Sd. QPM 2-0 Rodrigo de Oliveira Santos, o qual cuidou dela e proporcionou bons momentos nestes últimos anos de sua vida, a quem agradecemos e devemos toda nossa gratidão.

Jane fez a diferença servindo a sociedade paranaense e elevando o nome do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Paraná, cumpriu sua missão e teve o merecido descanso.

A cerimônia de cremação foi realizada no Crematório Petworld, onde fica Memorial de Cães da PMPR, local onde foi colocada uma placa em homenagem a Jane junto aos outros cães heróis.

Cães de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros da Paraná

Os cães de busca e resgate do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Paraná são usados para localizar pessoas perdidas em cobertura vegetal de risco, vítimas de soterramento e sobreviventes debaixo de escombros, sendo uma ferramenta de fundamental importância neste tipo de ocorrência, vez que, estudos comprovam que a capacidade de trabalho de um cão para localizar pessoas equivale a mais de vinte homens desempenhando a mesma função de busca, sendo que o animal pode realizar esta tarefa em um tempo muito menor.

Geralmente as raças de trabalho e esporte se sobressaem como cães de busca e resgate, isso devido ao fato de que elas vêem sendo aprimoradas ao longo dos séculos para servir ao homem. Golden Retrievers, Labradores, Pastores Alemães, Border Collies, Malinois e Bloodhounds são algumas das raças mais populares usadas nesta atividade.

Todas as pessoas possuem um odor individual que provém da constante descamação de células mortas da pele, óleos produzidos pela pele e cabelo, respiração e transpiração. Gêmeos idênticos têm odores diferentes para os cães. O olfato apurado do cão pode detectar no solo, o odor de uma pessoa vários dias após ela ter passado pelo local, ou ainda, identificar odores abaixo de vários metros de entulho.

Os cães naturalmente sabem como encontrar um odor, seu ancestral, o lobo, usava esse sentido apurado para sobreviver, farejando e caçando sua presa. Sendo assim, o treinamento dos cães de busca resgate consiste em fazer com que o cão compreenda que queremos que ele nos ajude a encontrar certos odores, e que será recompensado por isso. No treinamento, específico para cada modalidade de busca e resgate, a pessoa localizada pelo cão, assim como seu condutor, brincam com o animal e o recompensam pelos acertos.

Nem todos os binômios de busca, como são chamados a composição do homem com o cão, conseguem ser certificados para atuarem em ocorrências de busca e resgate, vez que, para galgar este nível, são necessários horas de treinamento, começando ainda como filhote, e, nas provas de certificação os cães são avaliados quanto à obediência, sociabilidade, agressividade, medo de ruídos e aptidão para localizar vítimas nos mais variados cenários.

Uma vez certificado, o cão terá que trabalhar em ambiente de estresse, procurar partículas microscópicas de odor humano, voar em helicópteros, navegar em barcos e depois de passar várias horas preso em caixas de transporte, pular e iniciar as buscas, ou seja, não é um trabalho para um cão médio.

Um homem, um cão, qualquer missão!